Author:
• segunda-feira, dezembro 22nd, 2014

Meu ser é um colibri
Agora aqui, depois ali,
Beijando, sugando flores…
A vida – mágica estrada,
Totalmente ladeada
Por sensações multicores.
Sentimento em cores alvas
Tem a doçura das malvas,
Da pluma, a suavidade…
Reflete céu em bonança
Verde-água da esperança,
Azul-sonho em claridade…

Sentimento em fortes tons,
Escuros, plúmbeos, marrons,
É mesmo um caso sério…
Vai me envolvendo em magias,
Imergindo em fantasias,
Labirintos de mistério…
Um sentir desesperado
Tem o amarelo dourado
Das cadentes outonais…
É fruto da ansiedade,
Mas vale a pena – em verdade,
Compensa todos meus ais…
Os sentimentos ardentes
Remontam às cores quentes,
Rubras, vermelhas, carmim…
Lembram lavas em torrentes,
Desejos incandescentes
Que explodem dentro de mim…
São modos mil de querer,
Prazeres de enlouquecer,
Inocentes, vãos, fatais…
Cada qual com seus olores,
Tantas delícias, sabores,
Que nem sei qual quero mais…
E, se vivemos pra amar,
Doidos mares navegar,
Ao sabor das emoções,
Vou meu destino seguindo,
Lindamente usufruindo
Um arco-íris de paixões!…

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.