Author:
• segunda-feira, dezembro 22nd, 2014

Uma sensação inaudita,
nunca antes sentida,
leva-me por caminhos
não explorados.

Por abismos… morros…
labirintos… atalhos… enfim… terraplenagem.

Esbarro no aceiro da mata virgem!

Descortina-se a campina…
o verde… o suave… o belo.
o inevitável!
acanhadamente olho… observo…
tateio…

E, com que prazer… pouco a pouco…
com que ansiedade,
sinto… recebo… sendo
tocada…
desvendada!

O verde derrama-se
num arco-íris imenso, numa ardência incontentável,
roubando-me os sentidos…
fazendo alvoroço no meu coração…
no meu corpo…
nas minhas entranhas!

Um grito na garganta desmaia.

Paro de chofre…

Onde estou?

Perdida no arco-íris.

Num encontro de mim mesma.

Agora sem retorno…
prossigo.

Delírio!

Category: MCarmo Costa, Poetisas  | Tags:
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.