Author:
• terça-feira, dezembro 23rd, 2014

Quando escrevo, eu me excito
Só, de amor, pensar em ti…
Sinto as entranhas ardendo,
Vou com prazer remoendo
O que contigo vivi.

Ondas de calor me afagam,
Sofro a dor dos desejos.
E cada verso transpira
A excitação que me inspira
A buscar mais por teus beijos.

Cada poema que faço
É como amor fazer:
Tomar-te em mim, amado,
Sentir teu corpo adorado
Penetrando em meu querer…

Rolam as letras que traço
Como rolamos nós dois…
E permanecem mostrando,
Nosso prazer expressando
Antes, durante… e depois…

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.