Author:
• terça-feira, dezembro 23rd, 2014

Ai que balaio danado de gostoso,
Cheio de beijos, ternuras e carinho
Balaio que eu guardo, juntinho do meu peito
Para aquelas horas em que estou sozinho…

Tiro dali um beijo bom de cada vez,
Um pouco de ternura vestida de amizade
Êta balaio que quando eu abro é todo luz,
Presente bom que guardarei na eternidade!

Quem não tiver um bom balaio, pode crer,
É porque não fez nada para isso merecer.
Ganhei o meu balaio, pois soube traduzir,

Minha amizade, o meu carinho e o meu amor;
Doei meu coração, eu tive fé, tive fervor.
E meus amigos todos, puderam isto sentir.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.