Author:
• sábado, setembro 05th, 2015

A…
Se a lua fosse gravador digital
E reproduzisse fielmente
O que meu coração disse para ela
Nas tantas noites que tinha só olhos de prata
Pedintes
E o resto anestesiado de dúvidas
Enquanto de amor morria em horas multiplicadas
E só a lua por testemunha de crime tão horroroso

Eu de olhos nela que me tinha todo
Pois só me restara os olhos
Depois que meu coração veio para eles
E para a lua subiu pelos raios da lua

Agora todos os dias olho a fêmea lua
Esperando que me dê coração de volta
Porque preciso de voltar a gostar
Eu preciso de voltar a gostar

A lua até que tem boa vontade
Mas não sabe qual é o meu
Porque tem tantos outros por lá
E talvez por isso
Tenha o brilho tão mágico de fazer doer

Joel Cavalcante

Category: Joel Cavalcante, Poetas  | Tags:
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.