Author:
• sábado, setembro 05th, 2015

A lua bateu na minha porta
E pediu licença para entrar
Eu disse tonto de tanta beleza
A casa é sua queira sentar

A lua sorriu uma luz de enigma
Com passos brancos foi onde queria
Meu coração de noite ela conhecia
Pois ele sempre em sua porta batia

Na mão da lua uma flor de prata
Estava dormindo a sua saudade
Que acordou para brincar com a minha
Tão amigas desde a flor da idade

Joel Cavalcante

Category: Joel Cavalcante, Poetas  | Tags:
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.