Author:
• terça-feira, setembro 15th, 2015

Querer renascer um amor
Que no tempo desfaleceu
É o mesmo que querer brotar
Uma semente que não viveu.

Esse que naufraga no tempo
Não passou de imaginário
Paixão que em trajes de amor
O tempo essa roupa rasgou.

E agarrados as vestes rasgadas
Em querenças que não se costuram
Vivendo em seu mundo ilusório,
Em tempos em que a vida não flui.

Em que vale passar a vida
Em plantar no mesmo chão
Onde mais nada germina
Vivendo uma vida em vão.

O tempo se faz mensageiro
Em manifestar as verdades
E todas as máscaras se desfiam
Por caminhar em chão genuíno.

Neuza Maria De Barros
14/09/2015

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.