Author:
• terça-feira, setembro 22nd, 2015

no hospício morrem lentamente
quem não leu Neruda
ou os salmos distantes
não distingue a metamorfose
dos mortos
o cheiro de alixe
o amadurecimento dos tomates
as oferendas que o diabo
aceita nos tratados falsos
porém na realidade te dedico
o motivo da cítara no meu sangue
o gélido poema na imortalidade
fímbria esvaída em paixões
que consomem a carne
o coito abrupto
as rosas com espinhos
que furam os balões
no parque
amolgo o fogo celeste no prisma
velocíssimo das noites…

Category: Adilson Alchuiy, Home, Poetas  | Tags:
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.