Author:
• segunda-feira, novembro 23rd, 2015

Quando te olho
Vejo um olhar meigo
E palavras de carinho
Em cada parte do seu rosto
Sonho tanto…
Tanta poesia existe em ser poesia
Que não canso de olhar

Quando te olho
Vejo a carne por baixo do vestido
A mostrar-se também tão meiga
E respostas de carinho
Para nascerem a cada toque

Sua carne tem a têmpera da sua alma
Fala de coisas tão boas
Que não tendo conhecimento o inocente
Sabe que é o amor primeiro amor
Tantos outros surgirão
E cada um será primeiro amor
Seu encanto faz que seja assim

Joel Cavalcante

Category: Home, Joel Cavalcante, Poetas  | Tags:
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.