Author:
• segunda-feira, junho 13th, 2016

Nada em minha vida mudaria
Se minh’alma não falasse,
Se não cantasse seu canto triste
A implorar por liberdade.
Ah! Minha doce alma
Que te amo tanto,
Foi seu reclamar permanente
De uma revolta insistente
Que sempre se fez presente
Vivendo por me alertar,
Criando um certo conflito,
Me chamando, insistindo num grito
Que acabou por me fazer acordar,
De uma dormência, um sono profundo
Para um renascer de vida
Para a vida aprender a viver
Para a vida aprender a amar.

Neuza Maria De Barros
13/01/2000

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.