Archive for the Category ◊ Incógnita ◊

Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

dri

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

És o meu mágico eclipse lunar,
o feitiço que me faz flutuar,
a poção que me deixa embriagada,
és o meu tudo e és o meu nada.

És o meu poço de mágicos desejos,
o fruto de todos os meus ensejos,
a miragem que vem no deserto,
és o meu longe e és o meu perto.

És a minha estrelinha da sorte,
o brilho que me faz ser forte,
a certeza no meio da confusão,
és a minha luz e a minha escuridão.

És a minha loucura anunciada,
o caminho para me sentir amada,
a calma no meio da ventania,
és a minha noite e o meu dia.

És a essência dentro do meu ser,
o amor que não posso perder,
a cura para toda a minha dor,
és a minha paixão e o meu amor.

És tudo o que eu um dia sonhei,
a alma gêmea que tanto busquei,
a bússola que me indica o norte,
és o meu azar e a minha sorte.

És a outra metade perdida de mim,
a flor mais doce deste meu jardim,
a única mentira que um dia foi verdade,
és a minha vida e a minha eternidade.

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

A tua boca tem o mel das flores,
tem o calor de muitos amores,
tem o silêncio forte de muitas dores,
tem a brasa quente de muitos ardores,
tema a doçura mágica de mil sabores.

A tua boca tem o calor do sol de Verão,
tem a incerteza do sim que era não,
tem a chave do que fechas no coração,
tem a mais pura e doce tentação,
tem a sincera e verdadeira emoção.

A tua boca tem segredos por descobrir,
tem o amargo das lágrimas ao partir,
tem a magia que me faz ver e sentir,
tem o que ficou de um sonho ao cair,
tem mil segredos num cofre por abrir.

A tua boca é pouco mais que ilusão,
a tua boca é um sonho por concretizar,
a tua boca encerra essa doce sensação
de um beijo que apenas posso imaginar!

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

Tocas-me com tao belas e intensas palavras…

Vem…
Que te espero… nua…
Não mais há lugar para o pudor…

Vem…que te quero, nua…
Fecha-me os olhos com teus beijos,
faz-me sonhar com teus desejos…
Faça-me com teu ardor…

Vem…
Que quero agora
acariciar teu corpo levemente,
beijar-te os lábios, sofregamente…
Sugar tua seiva com minha
boca quente…

Deixar-me penetrar por teu furor…
Vem…
te quero mulher,
vem…
deixa-me viver esta fantasia
de amor…

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

Amar é sentir o toque das mãos,
Contornando todas as curvas do corpo.

É o dedilhar centímetro a centímetro,
num massagear eloquente que arrepia a pele
nascendo os instintos mais selvagens.

E então no momento certo um beijo molhado,
acabará unindo dois corpos num só,
que nos leva ao gozo mais profundo.

“Amar é viver o momento mágico sendo sempre um momento único “

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

Procura-me nas tuas palavras,
nos teus gestos
ou no disfarce da serenidade
que te devasta.

Esmagarei o que te assombra.

Descobre-me no teu corpo,
no teu sangue
ou no amordaçado recato
que desmaia o teu olhar.

Lamberei as tuas feridas.

Segreda-me os teus medos,
os teus silêncios
ou as fraquezas que estalam
desalmadas no teu peito.

Beijarei a tua alma.

Do teu vinho serei ébrio, do teu vôo
o compasso, serás a pele que bebo
nas asas do meu abraço.
Deixe-me ser assim …tua em corpo, alma …coração!

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

Sinto em mim a tua boca
Meu amor
E grito
Quero a tua carne em mim
Inundo-me….
No meu orgasmo
E os teus lábios sugam a minha paixão
O fogo da tua língua
Inunda-me de prazer
E acalma-me o desejo

Tocas-me
De novo me excitas
Continua…
Perde-te comigo
Lancemo-nos neste abismo de loucura

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

quero o teu beijo
quero o teu toque
quero o teu corpo
quero o teu desejo
quero tocar-te
quero enlouquecer-te
quero ser tua
quero-te agora
quero-te inteira
quero-te só minha…
sou tua
entra em mim
rasga o meu corpo
nesta noite sem fim
és minha
em ti acendo
o fogo do desejo
num só momento
somos, tu e eu
corpos em chama
perdidos no tempo
danço no teu corpo
envolta nos teus braços
danço num ritmo lento
que tão bem sabes acompanhar
danço nos teus olhos
brilhantes de prazer
danço na tua boca
gulosa do meu beijo
danço no teu sexo
a um ritmo alucinante
danço até cair
exausta de prazer
quero…..

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

Fiz da minha vida um poema por mim inventado…

Foram tantos tropeços, tanta história do avesso,
que a vida se tornou num poema inacabado…

Vivi em pura solidão…sem dar ouvidos à paixão
Um dia a curiosidade acendeu em mim desejos…
e planei sobre a terra dos anjos…
onde vi rostos sorrindo de algo que já tinha esquecido… o Amor!

Quem é este anjo?…
que me tirou da escuridão e me fez viver…
Quem é este ser alado em que vejo a alegria da vida…por quem sinto desejo,
paixão.
E nesse olhar decido abolir a solidão…

Que saudade é essa, que entra no meu peito, e sufoca minha vontade
que grita que ela é única e especial…

Sinto medo…mesmo sabendo que entre nós não existe segredo
Amo-a na loucura…de seu amor!
Ao meu anjo, quero só para mim…seria inevitável apaixonar-me assim.

Do meu anjo quero matar a saudade…quero cortar esta distância que me sufoca a alma e me enfraquece o sangue…
Em meus sonhos…meu anjo aparece envolta em seda com olhar menina e corpo de mulher.

Dança em minha vida…melodias que nunca ousei sonhar…
É Deusa
É lua…
É Mulher…eternamente nua.

Em meus braços despojada de pudor, geme…enfraquecida
E entre meus beijos…carícias…nos perdemos juntas
Encontramo-nos una somente una mujer!

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off
Author:
• sábado, dezembro 20th, 2014

Escrevo em teu corpo como se fosses meu papel. Desenho em tua pele. Na ponta dos meus dedos levo as tintas com que te envolvo, no meu olhar a luz com que te ilumino. Resvalam na textura da tua tez as sombras dos teu contornos, suaves curvas que acaricio como se construísse em ti um novo corpo.

Murmuro-te as sílabas que teu corpo absorve, imprime e exibe, como um livro entre-aberto que me apetece desfolhar. Conto-te histórias de encantar, que tomas em teus poemas como pedaços meus que levas. Falo, projetando no vento os sons de uma canção que está por inventar, e tu, dás-lhe a música para quem a quer cantar, encantar.

Dos fios dos teus cabelos escorrem as cores que te dão vida, obra de arte divina, pedra perdida em pleno oceano. Levas tatuado no corpo, a minha voz, e as recordações de um passado misterioso que apenas nós sabemos interpretar, ao ler, diretamente da tua alma, os segredos escondidos em tão íntimo momento.

Nasce a obra, inventada entre nós, corpo de mulher, abraço adormecido em meu colo. Mulher madura que te recolhe, te abraça na sombra desta eternidade, que nos absorve as almas e nos faz uma da outra para sempre

Category: Incógnita, Poetisas  | Tags:  | Comments off